URO: Urologia Avançada

Urologia:
 
  • A especialidade
     
  • Busca por órgão
     
  • Principais Doenças
     

URO - Urologia Avançada

Centro Médico Aliança

Tel: (71) 2108-4668

Hospital São Rafael

Tel: (71) 3409-8000

  • doctorália
  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • White Google+ Icon

Cirurgia de prolapso vaginal

Prolapsos dos órgãos pélvicos

Correção de cistocele - bexiga caída

 

 

  • Para que serve a cirurgia?

 

A correção da cistocele - bexiga caída- serve para restaurar a anatomia veginal, devolvendo a bexiga para sua posição original.

 

  • Como pode ser realizada
     

 

A cirurgia da cistocele pode ser realizada por via vaginal ou por via abdominal laparoscópica. Não exsite uma técnica melhor do que a outra, mas sim a melhor técnica para cada paciente, ou seja, o tratamento é personalizado para cada indivíduo.

 

  • Como é o preparo antes da cirurgia (pré operatório)?
     

1- Exames pré-operatórios: - Glicemia; hemograma; uréia; creatinina; Na;K; TP; TTPa; Cultura de urina: Radiografia de tórax e ECG.

A depender das doenças do paciente outros exames podem ser necessários.

2- Dieta habitual, evitando-se comidas gordurosas, bebidas alcoólicas ou gaseificadas. Jejum de 8 horas antes da cirurgia é necessário para evitar complicações anestésicas. 

3- Parar de fumar 4 semanas antes, fazer exercícios físicos regulares ajudam a melhorar o condicionamento cardiorespiratório.

Não faça tricotomia (raspagem dos pelos) em casa. Isso será feito no hospital, caso seja necessário

  • Como é a cirurgia?
     

Como você pode ver na figura, o prolapso pode acometer a parede vaginal anterior (parte da frente da vagina), nesse caso, quem está prolabado é a bexiga, a parede vaginal posterior (parte de trás da vagina), nesse caso, a estrutura acometida é o reto, ou o ápice da vagina (parte de cima da vagina), nesse caso, o útero ou a cúpula vaginal estão caídos.  Algumas pacientes podem ter todos os tipos de prolapsos associados, necessitando correção de todos os defeitos. A cirurgia pode ser por via vaginal com uso ou não de telas, ou por via abdominal laparoscópica ou robótica, a depender de cada caso.

Depois da cirurgia

Uma sonda e um tampão vaginal (gazes) são deixados por 01 dia e a paciente recebe alta sem eles, nromalmente.

A dieta é reiniciada logo após a recuperação da anestesia, quando o paciente estiver bem acordado. Deverá ser leve, rica em fibras ,e com pouca gordura e condimentos, para facilitar a digestão e esvaziamento intestinal.

Assim que o paciente se sentir disposto pode levantar-se do leito e andar no quarto e corredor do hospital. Isso deve ser estimulado o mais precocemente possível, para evitar trombose nas veias das pernas e ajudar no funcionamento do intestino.

A alta costuma ocorrer no primeiro após a cirurgia.

Repouso relativo é indicado devendo-se evitar subir escadas, pegar peso ou exercícios físicos por 30 a 60 dias a depender da evolução individual e da via de acesso escolhida para cada paciente.

Medicações para dor ou antibióticos podem ser necessários a depender da evolução de cada paciente.

É normal sair secreção manchada de sangue pela vagina, porém sangramento excessivo deve ser examinado.

Atividades sexuais são reiniciadas normalmente 45 dias após a cirurgia.